quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Um parêntese

Abre parêntese:

Me deu vontade de fazer esse parêntese antes do próximo post pra esclarecer algumas coisinhas pra vocês, antes que alguma autoridade peça a minha interdição.

Seguintch, tenho recebidos inúmeros e-mails de gente querida-ou não – muito preocupada com minha sanidade mental, já que m quase todos os posts eu faço uma menção honrosa ao Guilherminho, meu médico dos ânimos.

CALMA gentes, eu não tô ficando louca por não dormir, não é isso....! Insones desse meu Braseel, podem respirar aliviados que não dormir não provoca esse tipo de loucura. Provoca outras perturbações e tals, mas não necessariamente precisa partir para um psiquiatra.

Vou contar meio que por cima, pincelando, por que isso é assunto prum outro blog (que eu tô pensando seriamente em escrever, vai que isso sirva de ajuda a outras pessoas doidas que estão passando por esse tormento igual quenem eu passei, né?)

Seguinte pessoas, sofri por alguns anos de um negócio terrível, péssimo, monstruoso, leguminoso, chamado Síndrome do Pânico. Morri? Não, ainda tô aqui. Mas, juro por tudo qué sagrado que achei que estava morrendo. Essa mer#*@ de doença traiçoeira te faz acreditar que você está partindo dessa pra uma melhor, de meia em meia hora. Além de paralisar sua vida de uma tal maneira que você acredita sim, que sumiu do mundo.

Fui deixando de lado o trabalho que estava fazendo, pois não conseguia mais pegar uma estrada e muito menos ficar presa dentro de um carro por mais de 2 minutos. Parei de andar de carro, porque achava que ia sufocar. Parei de andar na rua, porque tudo era muito assustador, árvores, pessoas, nuvens, paralelepípedo. Parei sair de casa porque achava que o mundo lá fora iria me tragar a qualquer momento.Parei de sair do quarto, porque as pessoas aqui de casa ficaram todas esquisitas e fantasmagóricas e porque poderia morrer no corredor indo pra sala. E tinha dias que nem da cama conseguia levantar por que não tinha a menor força. Fiquei mulambenta igual um 'ligeira'(mendigo), como diria minha avó. Banho então, nem pensar (mintira, foi só 1 dia). Ir até o chuveiro era como se tivesse indo pra câmara de gás e quando passava o xampu na cabeça tinha vontade de sair correndo pelada toda cheia de sabão pra debaixo do cobertor. Parei de comer porque o cheiro da comida me dava ânsia de vomito. Fui ficando fraquinha, fraquinha e acabei emagrecendo 6kg (podia ter mantido, né?) e acreditava piamante que eu não fazia mais parte desse mundo e sim daquele outro em que eu vivia uma realidade totalmente irreal (é muito louca essa sensação. Louca no sentido ruim e nao bão da palavra).

Até que depois de muito relutar e aceitar( aceitar foi o mais difícil) que tava doente – sim, isso é uma doença - eu atendi aos apelos da família marido e amigos e aceitei iniciar um tratamento com remédios, daqueles que se compra com a receitinha azul, com nome, endereço, telefone e antecedentes criminais e sussurrando no ouvido do farmacêutico, pra ninguém achar que você é um Serial Killer. E quem me receitou os tais, foram exatamente Guilherminho, o cara que me resgatou do fundo da mina do Atacama. Por isso menciono tanto seu nome, de agradecida que sou a essa pessoa, que foi médico, amigo e antes de tudo foi muito mais paciente que eu, a paciente propriamente dita.

No início do tratamento tive uma piora considerável e contei muito com o apoio da família amigos marido e gatos e maritacas e hamsters. Trinta dias que se seguiram como num inferno. Não acostumada a esse tipo de drogas, pois as que eu usava eram beeem diferentes (apagar depois), eu andava cambaleando e batendo com a cabeça na parede no meio da noite que nem um zumbi(não tanto como agora, só esclarecendo), via uns flashes coloridos, roxo, pink, verde limão...(isso foi legal) e levava choques pelo corpo (isso nem tanto). A partir daí fui melhorando, voltei a comer, voltei a comer muito, voltei a tomar banho todos os dias( glória a deus senhor), fui aos poucos entrando dentro do carro de novo, me jogando no meio da multidão de um banco lotado por exemplo e fui ficando bem bem bem muito bem bem muito bem mesmo, bem demais que me empolguei e PIMBA, engravidei!

Depois do pai da criança, a segunda pessoa que eu liguei pra contar o fato foi Guilherminho. Entrei em parafuso, já que essas drugs são terminantemente proibidas para uma grávida. Pensei que poderia abortar a qualquer momento ou o neném nasceria deformado. Uma agonia sem tamanho. Mas aí ele explicou que com 1 mês ainda não tinha muito problema, mas que eu deveria parar com os remédios sim. Aí ele vira pra mim todo meigo: “MAS PARE HOJE!” O que teria que ser gradativo e com acompanhamento, foi assim no susto.

Meu parto começou aí, no primeiro mês de gravidez. Parei. Sofri. Tive crise de abstinência.Tive recaídas horríveis. Tive crises fracas, crises médias e uma crise forte. Enfim, passei uma gravidez ducão. Ligava pra ele todos os dias, perguntando: “e aí, já descobriram uma p@#$ de um remédio que é permitido pra gestantes?” E ele sempre me dando força, dizendo, calma Ju, faltam só 6 meses, 5 meses, 4 meses e aí por diante...

Segui firme- forte tentando esquecer de mim (se bem que isso não depende tanto do nosso querer) e passei a pensar só na Lulu. Me agarrei nessa vida dentro da minha barriga, como quem agarra numa bóia no meio da correnteza.Meu único pensamento era “ Não posso”. "Não posso tomar remédios por que faz mal a ela, não posso ter crises por que faz mal a ela; Como posso ter essa sensação de morte iminente se tenho uma vida dentro de mim?" Era confuso e doído.

Me apoiei nesse serzinho intra-uterino com toda a força que só uma mulher que carrega uma vida dentro dela pode ter, e fui vivendo um dia de cada vez. Lutando a cada segundo (mesmo) e matando um leão por dia.( Tô meio CVV?)

Uns dias antes do parto, Guilherminho me ligou e dizendo pra avisá-lo quando parisse, que ele mesmo ia me trazer os benditos remédios. Só que aí, como eu não sou de facilitar as coisas, decidi que iria amamentar, teoricamente até Lulis completar 6 meses, portanto nada de remédios nesse período. A melhor e a pior decisão da minha vida. Sofri horrores sim, mas era aí que eu encontrava mais força pra seguir adiante. Assistir o ótimo desenvolvimento dela, só com 'leite de peito', ficou sendo o meu remédio.

E ninguém acreditou que eu fosse realmente amamentar até os seis meses. E eu amamentei. Seis meses, um ano e mais 15 dias, quando, como vocês já sabem, ela me trocou por uma....não consigo falar o nome daquele objeto.

Enfim, já tem dois meses que parei de amamentar e mesmo estando beeem melhor, ainda tem dias que sinto a maldita crise se aproximar. Poderia estar voltando aos remédios, mesmo que em doses mais baixas, mas não quero. Tenho o melhor remédio de todos, minha filha, que me dá uma força 'felomenal' , mesmo ela, a bichinha, nem desconfiando disso. E vou continuar lutando pra não precisar mais deles. Se eu consegui até agora, eu consigo mais um pouquinho, némesm? E é por ela. Sempre por ela.

Agora vou parar por aqui, porque senão, daqui a pouco, invés da Astrid é Sonia Abrão me chamando pro programa dela. Gi-zuis me morda!

Fecha parêntese.

PS: Claro que não posso deixar de mencionar, Flávia, minha psicóloga que também superajudou a segurar as pontas durante toda a gravidez. Beijomeliga, linda. Mas liga de tarde porque de manhã eu durmo ; p

38 comentários:

Anne disse...

Giuliana, você tem dado forças para outras insones por aí (já te falaram? estava pensando em algo inédito para meu primeiro comentário para uma pessoa tão famosa!!!)
Leio seu blog, me divirto, me consolo, meu insone dormiu hj pela primeira vez em 6 meses (exagero, ele já tinha dormido outras noites, eu é que não pq ficava checando se respirava, se estava coberto, se ventava...vc sabe)
Enfim, parabéns pela persistência e espero que vc não esteja como eu tendo ataques histéricos e variações de humor dignas de um psicopata. Pelo bem de nossos filhinhos mesmo... nos controlemos, sejamos melhores, paremos com as drogas e plantemos felicidade!
Bjos, um dia passa lá no Super Duper para conhecer as minhas mazelas, vc não está só!
Anne
mammisuperduper.blogspot.com

Nat disse...

Legal vc contar a sua história! Ainda tem muita gente que acha que doença psicologica é frescura (leia-se meu marido que me disse no dia que viemos pra casa com o bebe que se eu tivesse depressão pos parto ele nao ia pagar psicologo coisa nenhuma)
Como dissse a mamãe acima: Parabens pela persistencia!
Quando a gente vira mãe, fica mais forte né?!
Beijinhoc

Fabi disse...

Menina, que coisa!
Parabéns por tudo.
Nunca passei por nada disto, mas sei muito bem que não é frescura. É papo sério mesmo!
Bjos

juliana disse...

oi Ju, HOJE é que eu assisti o happy hour, I know, it's not fair, we're 1 week behind....mas,tudo pela Globo internacional é assim, "so late"...mas, it's ok..olha, eu tenho um baby de 6 meses, o Henrick, coisa mais linda desse mundo, continuo amamentando ele, e nao sei se por isso, ele continua acordando, as vezes só pra me abracar e dorme denovo, ja aconteceram varias vezes de ele dormir a noite toda, só que como a coleguinha do comentario anterior, EU nao dormi a noite toda, checando se ele estava respirando, temperatura, essas coisitas...desde os 2 meses eu nao amamento ele de madrugada mais, mas ele insiste, as vezes alerta, quer brincar as 4 da manha, mas eu fico dura, nao dou os "guim" pra ele, é assim que ele chora qdo quer mamar.. "ehh guim ehh guim..!".. essa noite ele me surpreendeu, eu sempre dou mamadeira a noite, por volta das 11, pq ele nuncaaa dorme antes das 10, e ele so acordou as 9 da manha!!!podia ser assim todos os dias.. (quem dera!!) mas, desanima nao, Lulu vai dormir, aposto que vc ja recebeu um "monte" de dicas, ai vai mais uma, eu sempre oro com meu baby, e peco a Deus pra que nos de uma noite tranquila, e que se ela nao for tranquila,que Ele me de forças e paciencia pra eu entender o que meu filhote precisa... Ora com a Lulu, eu de hoje pra frente sempre farei isso por ela.. e tenta criar uma rotina e ir falando com ela tudo o que vc esta fazendo, like, "agora vou te dar banho, vc vai deitar no berco e nanar um soninho,",.. eu faco com o Rick, as primeiras vezes foram dificeis, dava uma dó de ficar assistindo ele acordadinho la no berco, mas agora na hora do nap dele a tarde, eu dou a comidinha deito ele no berco e falo com ele que é hora de dormir, qdo volto la ele ja esta dormindo..um bjo, e boa sorte, ahhh! e a Lulu é linda, dá ate vontade de ficar acordada mesmo, (nao por tanto tempo como vc esta!kkkkk), só pra ficar olhando pra ela...

Vivi Muzel disse...

Parabens, de uma vez por todas sua vida eh um blog aberto! Entrei aqui hoje pela primeira vez e ja ri e chorei com voce. Ja me sinto sua amiga (considere o momento mae de menino de 3 anos e 10 meses q ainda nao vai pra escola e outro ursinho de 2 meses... Carencia total!!! hahaha)! Essa transparencia influencia muito mais q comerciais q mostram tudo perfeitamente perfeito... Frustrante pra quem usa isso de parametro,ne?
Assumamos sim nossas mazelas -com "z" mesmo?- pra que seja menos pesado!!! Beijinhuuuu Vivi

Camila disse...

É isso aí, o bom de tudo é reconhecer que precisamos de ajuda e que precisamos estar firmes e fortes por causa de um serzinho que precisa ainda mais de nós! Mesmo que esse ser não durma!
Aqui em casa é baile todas as noites. Tenho gêmeos, mas pelo menos 1 deles dorme que é uma beleza! Às vezes fico pensando se a Isabela (a que dorme) não roubou todo o sono do Atônio (o insone) durante a gravidez...Será? Será?
Beijinhos insones pras duas e venham me visitar quando quiserem!
Camila
http://maededuplaprimeiraviagem.blogspot.com

Camila disse...

Flor, que depoimento, hein?! Eu conheço de perto a síndorme do pânico, não tão perto quanto vc, mas de pertinho e me solidarizo super. Tenho certeza que a Lulu veio na hora certa, não apenas para te ensinar um monte de coisas, mas tbem para te curar de vez. E é por isso que ela está aí ligada no 220V, te deixando insone, #luluvibes forever: para não te deixar cair ou ter recaídas, ela está te mostrando a vida!! Pode acreditar, Lulu é o seu anjinho!!!
Bjos,
Camila
www.mamaetaocupada.blogspot.com

Kelly Resende disse...

Oi Giuliana, já te falei q sou sua fã? Pois é, adoro o seu blog e agora te admiro ainda mais por ter lutado contra essa doença e ter conseguido superar e manter um humor tão delicioso, parabéns!
Beijocas

Janine disse...

Amei seu post! Aliás, curto todos e eles me ajudam de forma divertida e humorada a entender um pouco mais do mistério de ser mãe e ter filhos... rs. Continue firme! Pela Lulu sim... mas muito mais por você! Bjss

Rodrigo Soriano disse...

Giu, você não tem idéia de como fico feliz por saber que você tem conseguido forças através da Lulu para continuar bem sem os remédios. Certa vez, quando vocês nos contaram da gravidez, pensei que um filho poderia te fazer bem. E não é que estava certo, aconteceu de verdade! E mesmo sabendo das dificuldades que você deve ter passado, ainda consegue escrever de forma tão humorada seus posts... você tem um dom mesmo, ninguém te segura mais com esse blog. Olha o sucesso aí Giu. Parabéns pela superação, continue assim, sempre! Um beijão do seu amigo! (o único representante dos machos aqui, por enquanto)

Ana Lúcia Nossack disse...

Oi Giuliana !! Eu também tenho uma filhinha que não dorme,ela tem 1 anos e 3 m.melhor ela dorme mas acorda toda hora, por exemplo ontem ela dormiu era 21.30hs depois acordou meia noite toda feliz, foi dormir só as quatro da manhã . E tá igual a sua tb fuçando em tudo, um verdadeiro terremoto. KKK.

Eu moro em Jundiai tb, se precisar de alguma coisa me liga, poderiamos até nos encontrar imagina o encontro das duas fogueteiras. Meu tel. 9182-3847, mas liga a tarde pq de manha eu tb durmo ou tento pelo menos. Beijocas

sueli disse...

Achei muito legal vc ter conseguido dar vasão a seus Gasparzinhos. Só o fato de ter postado para seus zilhões de seguidores,vai aliviar em grande parte essa cicatriz na sua vida. Agradecí por vc,. ao ter matado leões, tivesse deixado vivo o meu,.rs. E não tenha dúvida que sua Lulu é o seu anjo da guarda. Mantenha sempre essa dependência. É gostoso e faz muito bem prá vocês e prá nós, que estamos do outro lado, torcendo prá que todo o mal que lhe acometeu, seja revertido sempre, em alegria ,muito amor, satisfation. gramú, buniteza, esbelteza e otras cositas mas. Beijos da number one

Fabiola disse...

Menina! vc é um exemplo, sabia?? Fiquei muito impressionada com sua história e mais ainda com sua força... e lidar com isso tudo ainda de bom humor?? Você virou minha ídola!!! :)
Fique forte! mas não se cobre tanto, hein? Você é humana (apesar de não dormir..hehehe)
Bjs!

Uli disse...

Aiai Ju, até lendo algo tão sério não consegui deixar de rir..menina que talento! Bota um linkzinho aí dentro do blog para as pessoas votarem com mais facilidade.
Mil bjs e fica com Deus!

Lia disse...

Que linda história, Ju. Um milagre mesmo. E que você tenha forças pra mandar essa crise embora de vez!

Beta, a mãe disse...

Ju, eu nunca tive preconceito nenhum em ir em terapeutas, sejam eles os psiquiatras ou psicólogos, nossa mente é um bicho estranho, muito estranho! E ela prega peças na gente quando a gente menos espera. Fiquei feliz de ver todo o apoio que você teve (porque não é todo mundo que tem essa sorte). Como disse a Camila lá em cima, talvez ela não durma pra te proteger, esses serzinhos tão pequenos e que já sabem tanto da gente! Claro que vão acontecer recaídas (porque isso acontece), mas você vai ter o apoio de todos que te amam um monte. Parabéns pela coragem de tornar isso público e de encarar a vida com tanto bom humor. Virei sua fã desde o primeiro post que eu li (coisa de uns 6 meses), e agora arrepiei com a coragem e virei mais fã ainda. Beijos e força.

Neural disse...

Insones de todo mundo, Zumbi-Vos!
hahahaha
bjs
renato - @diariogravido

Sarah disse...

Nossa Ju, que barra vc passou!! Mas parabéns por ter vencido essa batalha, parabéns por ter segurado as pontas na gravidez e ter insistido na amamentação!!
beijo!

Dani Maciel disse...

Gui!

Olha, vivi de perto, bem perto algo parecido, a minha melhor amiga tb sofreu dos mesmo males, e foi estar gravida e ser mãe, que fez ela largar os remedio e tentar e estar conseguindo viver sem eles.O que pra todos nós é uma conquista, maior ainda pra ela que esta conseguindo, o menino dela já vai fazer 2 aninhos em dezembro! Espero que dure pra semprem na vida de vcs a maxima do por hoje não!

Bj

Ps, nossa, lembro dos seu primeiros posts, vc tá cada dia mais famosa, merece!

Mari disse...

caraca maluco! que história! quem te conhece só pelo blog, com esse bom humor incrível, não consegue imaginar que vc tenha passado por essa merda de doença.
mas ó: Lulu fofa, blog terapêutico, doutor Guilherminho e bom humor - eis o caminho certo pra despachar pro além essa p* de síndrome, né?
Torcendo por vc!
beijos

Fabi disse...

Minha mãe tem síndrome do pânico há mais de 20 anos e é foda mesmo. Sua filha vai se orgulhar por vc lutar contra essa merda de doença.
Tive depressão pós-parto e ainda tomo remédios. Orgulho de vc que conseguiu amamentar. Eu não consegui.
Beijos,
Fabi
http://depoisqueeudescobri.wordpress.com/

Desconstruindo a Mãe disse...

Oi, Ju,

É fogo conviver com o pânico... eu tive e é tão difícil de explicar quanto de quem está de fora entender...

Mais difícil ainda talvez seja enfrentar sozinha. Eu não consegui continuar sozinha depois do nascimento do Caio. Precisei voltar à medicação. Ela interfere no meu peso, no meu manequim, na minha auto-estima enfim.

Mas uma coisa eu te garanto: sem ela eu fiquei beeem pior. E o que me alegra é que a minha médica disse que o objetivo é, com a terapia e o tratamento medicamentoso, chegar a um ponto em que tenhamos como ficar sem medicação!

O blog funciona como uma terapia de grupo também... rsrsrsrs!

Podes ter certeza de que tens em mim uma torcedora FIEL pela tua saúde e felicidade... *sem ser corintiana, que eu sou gremista DOENTE!)

E qualquer coisa, além do e-mail, podes me chamar no msn: ingrid.strelow@hotmail.com !!!

Ingrid

Anônimo disse...

Muuuuito me identifiquei...vc pode me passar um e mail?obrigada,escrevo aqui do Canada e estava assistindo ao Happy Hour

Ju disse...

Oi gentes, quem quiser se consultar,OPS, conversar comigo pode ser nesse endereço giulianasv@uol.com.br .
Muito obrigada por todos os comentários! Vc são uns fowfos.
bjokas

Kika Bastos disse...

ô Ju.. te vi HH e já corri pra cá pq curti o teu BOM HUMOR pra lidar com isso... sei que é brabo!
Agora, vou falar: vc ganhou uma fã!!!!

Taís disse...

Ola Giu, vi hoje o programa, e realmente fiquei compeninha de vc... já passei uns momentos dificeis com meu bebe, que hoje esta com 1 ano e 7 meses, mas aprendi uma tecnica que deu certo... vou escreve-la estes dias para vc... to de saida, mas prometo que volto para contar.. bjocas

Taís disse...

Sobrou um tempinho ainda... é horrível a gente não conseguir descansar... passei uns momentos difíceis com meu LUCA, mas achei uma técnica que demorou, mas deu certo... quem sabe para vc tb dê. O Luca mamou no peito apenas 3 meses... ele acordava de 4 em 4 horas sagradas o dia e noite inteira... quando parou o peito, ele dormia umas 6 horas seguidas a noite... tirando quando tinha alguma coisa. Nesse periodo eu estava morando com meu marido na casa da minha mãe, e quando o Luca fez 4 meses mudamos para nossa casa nova.. desde esse dia ele já foi para o quarto dele. Foi uma benção até os 7 meses, depois disso, ele só queria colo para dormir, e acordava varias vezes a noite, e as vezes só acalmava com a mamadeira, que de acordo com a pediatra,nunca deve ser dado tete de madrugada. Passaram meses e quando ele estava com 10 meses e 10kg, eu tive a coluna travada, e tive que começar a inventar maneiras de fazer ele dormir sem colinho. Resumindo, depois de diversas tentantivas, iniciamos o processo de conversa adulta..rs.. explicando que era de noite (abriamos a janela), tava escuro, que era hora de naninha,blablabla, e colocava ele no berço, e eu sentava na poltrona,falando que ia ficar ali com ele, até ele dormir,no começo, chegamos a ficar 2 horas até ele dormir, pq ele chorava, ai pegávamos, acalmávamos, e colocávamos ele de volta no berço... depois passou a fase de choro, e ele ficava brincando,virando para lá e para cá... bom só sei te dizer que +- 2 mes ele estava dormindo sozinho, mas temos que ficar lá até ele dormir, pq mesmo que ele vire para o lado que não consegue nos ver, de vez enquando ele vira para dar uma espiadinha. Mas normalmente dorme em 10 minutos, alguns dias que esta maisdescansado/agitado demora um pouco mais, e neste caso já deixo um livro pra mim no quarto dele, e adquiri o habito de ler um capitulo por noite, o tempo passa rapidinho, quando vejo elejá esta dormindo.... de madrugada foi mais dificil, pq estamos cansadas..blablabla...mas o importante é nao tira-los do quarto, nem acender a luz, nem dar tete, nem agua... é continuar a conversa,pegar um tiquinho no colo para acalmar,e ficar lá até dormir...o trabalho é duro, mas deu certo. Espero que de certo com vcs.. boa sorte!!

Emeli disse...

É isso ai mina e força na peruca!!!!

Anônimo disse...

Giu, que lindo! Que bom que se lembrou de mim!!!!!!!!Emocionei!!!!!!
Vc precisa contar para eles que hoje você é uma "nova mulher", e tudo isso só serviu para te fazer melhor!!!!!
Adorei o post!!!
Vc é especial!
Bjão Flavia / a psicóloga

Lua Ugalde disse...

Vc sabe que eu super sua fã...agora sou mais ainda! Uma doença Psicológica nunca é facil de ser enfrentada, principalemnte pq temos dificuldades de assumir que a temos. Agora dando uma de chata, acho que vc deve sempre estar atenta pra não voltar a ter recaídas, principalmente por LULU. Sei que vc não quer voltar a tomar remédios, mas se vc sentir que precisa não relute muito em procurar terapia, seja ela psicologica ou famaceutica!
BJos, me Twitta e me comenta!!

www.lauconfessions.com disse...

Linda ótimo post como sempre

Carol disse...

Conheci seu blog atravez do Programa mas so hj vim te visitar e vim justamente no dia de um post que me identifico tanto.... tb tive sindrome do panico em 2005 mas ate hj ainda sinto alguns sintomas que infelizmente não desapareceram por completo mas aprendi a conviver com eles mas o que mais me da forças é meu filhote. Vou passar por aqui sempre


bjosss

Laís disse...

Oi! Cheguei aqui através de outros blogs e gostei muito do que li. Da sua coragem e senso de humor. Sou uma mãe não tão insone quanto você, mas também aprecio o bom humor na hora de lidar com os perrengues. Porque problema, todo mundo tem! Como lidamos com eles, é o que importa.

Voltarei mais vezes!

Beeijos,
Laís.

Vanessa França disse...

Olá Giuliana, td bem? Te vi no programa da Astrid e te adorei, li seu ultimo post e te gostei mais ainda... rsrs... só quem é mãe sabe o que uma mãe passa durante as noites sem dormir... apesar q tenho muita sorte, pois meu bebê (q tem 4 meses) dorme bem, graças a Deus... mas sempre tem uma noite q desanda né??? mas fica firme que vc consegue, um dia, ou melhor, uma noite de sono... apesar que quem é mãe nunca tem uma noite de sono tranquila né... beijos e boa sorte, adoraria manter contato contigo.... Até mais, Vanessa

Mary disse...

Oi fofis!
Eu tb tive Síndrome do Pânico, muito antes da gravidez. É punk. É todo dia uma sensação horrorosa, de não saber se no segundo seguinte vc não vai estar trocando idéias com o abajour - ou se ele virará uma ameaça a sua existência. Mas isso passa. Com o tempo, a gente passa a entender os sintomas e controlar. Qdo eu sentia a god-dammm sensação chegar, eu contava até dez e fazia respiração de yoga. Dava certo. Estou sóbria (AA...rs...) há quase 10 anos. Keep the faith que vc consegue controlar sem remédios. O mais difícil, garanto, já passou. Bjs.

Anônimo disse...

Parabéns! Tua filha écom certeza é poir ela, sempre pense nela. Boa sorte!! Sempre leio teu blog.
beijão aqui do sul
Vanessa
São Leopoldo - RS

Aline e Júlia disse...

Giuliana passei para conhecre seu blog e adorei, a forma como escreve humorada, de quem esta de bem com a vida! li sua historia e fiquei de boca aberta por sua força de vontade! parabéns superar a crise do panico não é facil, mas vc conseguiu é mias forteque este medo!
por isso te admirei mais!

vou voltar aqui para ler mias viu, pois gostei mto do blog!

super bjus e boa semana

Anônimo disse...

Oiiiii,tudo bem? Aqui é a Naiana,do Tuco Tuco.
Minha mãe e eu desejamos à você muitas alegrias, paciencia, bom humor, e saúde,para aguentar o pic da Lulu. Quando tudo isso passar, você vai lembrar e rir e saber que tudo vale a pena.Parabéns!!!!!!!!!!!Beijos,Nai e Ma.